Tudo o que você precisa saber para fazer um bom negócio.

Depois de fazer muitas entregas com a sua moto atual, você acha que chegou a hora de passar a sua companheira de trabalho pra frente e comprar um modelo ainda melhor? Comprar moto usada pode ser uma excelente – e econômica – alternativa.

Mas para aumentar as chances de fazer um bom negócio e evitar o risco de cair numa cilada, é importante se atentar a alguns detalhes, como fazer um test-drive antes de assinar o contrato de compra e venda. Bora lá conferir todas as recomendações!

Pesquise o preço médio do modelo escolhido

O primeiro passo é escolher entre os tipos de motos, o que mais atende às suas necessidades. O foco é potência? Economia de combustível? Fabricante? Tudo isso junto? Responda essas perguntas mentalmente e pesquise até encontrar algumas opções de moto para trabalhar.

Essa etapa é importante porque com o modelo de moto em mãos será possível pesquisar o preço médio da moto escolhida. Assim dá até para saber o que está muito caro ou barato demais, sacou?

Confira o Renavam antes de comprar moto usada

Quanto antes você tiver acesso ao Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) da moto que pretende adquirir, melhor.

Afinal, com esse número você pode dar uma olhada se existem débitos, dívidas ou alienação registrados na moto.

Dê uma olhada criteriosa na moto

Se você primeiro pesquisou a sua moto pela internet e por meio da descrição e das fotos publicadas ela parece ser a compra ideal, é hora de fazer uma checagem cara a cara.

Nessa etapa, é importante ter olhos atentos na aparência geral. Procure por trincas na pintura e outros sinais de falta de cuidado. Lembre-se que amassados no tanque, paralamas e rabeta podem indicar que a moto já sofreu quedas.

Outra dica importante é conferir a numeração do chassi e se certificar de que não há indícios de adulteração. Já imaginou a dor de cabeça que seria comprar uma moto roubada? Cê é loko.

Procure também por indícios de ferrugem, confira quais são as condições do kit de transmissão (corrente, coroa e pinhão), da parte elétrica e dos pneus.

Sobre os pneus, existe outro detalhe a ser levado em consideração. Se eles estiverem ressecados, isso pode significar que a moto ficou muito tempo parada, aí é importante questionar o vendedor para entender o porquê.

Por último, mas não menos importante, verifique as pedaleiras, manoplas e manetes, pois se estiverem gastos demais, isso pode indicar que a moto já rodou bastante, o que aumenta as chances das peças da moto estarem com maiores desgastes de uso.

Não confie somente no hodômetro para conferir quilometragem rodada, pois ele é passível de adulteração.

Dê a partida na moto ainda fria

Você sabia que mesmo sem ser um profissional de mecânica, dar partida na moto ainda fria pode trazer grandes indicativos sobre a saúde do motor? Isso porque nessa condição espera-se que a moto ligue sem problemas, sem apresentar nenhum tipo de ruído metálico, por exemplo.

Se isso acontecer, pode ser que haja excesso de folga nos componentes como virabrequim/bielas, pistões e sistema de válvulas.

Outra coisa que você deve observar após a partida na moto fria, é a fumaça do escapamento. Sair fumaça do escapamento isoladamente, assim que a partida é dada, não indica que algo está errado. Mas se mesmo depois de alguns minutos esquentando, a fumaça continuar saindo, apresentar uma cor azulada e aumentar com a aceleração: é cilada!

Há grandes chances de ser óleo queimado, o que é um sinal de motor que já está prestes a se aposentar e que você precisará fazer a manutenção da moto.

Leve a moto a um mecânico de confiança

A moto passou por sua criteriosa checagem? Ótimo!

Agora é hora de levar essa belezinha para um profissional verificar as condições internas. Dê preferência para aquele mecânico amigo, em quem você confia de olhos fechados. Só ele poderá dizer com maior precisão quais são as condições internas da moto.

Faça um test-drive

E se a moto que você deseja comprar não for confortável de pilotar? Só dá para saber se a sua postura na moto e outros coisas desse tipo durante um test-drive.

Por isso, peça ao vendedor para dar uma voltinha com a moto. Durante o período do test-drive, além de poder sentir o gostinho de ser o novo proprietário, você terá a chance de conferir a estabilidade da moto, o comportamento das suspensões, a eficiência do sistema de freios e também se a moto é muito pesada.

Isso tudo conta muito quando o objetivo é evitar uma compra frustrada.

Escolha bem de quem comprar

Pela internet ou pessoalmente, é possível comprar moto usada de um particular, pela concessionária ou em uma loja independente. Seja qual for o meio escolhido, é importante conhecer muito bem quem está vendendo para evitar problemas.

Ao escolher comprar de particular ou loja independente, pesquise ao máximo sobre o vendedor e sobre a reputação da loja.

As concessionárias são, geralmente, mais seguras, pois oferecem garantia de compra e representam uma grande marca, mas podem apresentar preços um pouco mais elevados do que as outras duas opções.

Seguindo essas dicas, você vai conseguir comprar moto usada com muito mais segurança e diminuir muito as chances de cair numa cilada. E o melhor: estará pronto (a) para fazer suas entregas com mais conforto. VLW!