Veja como manter um dos componentes mais importantes da moto em pleno funcionamento.

Quanto mais você usa a sua moto, mais as peças se desgastam. É natural. Por isso, é importante ficar de olho para identificar todos os sinais e tomar providências antes mesmo que um problema possa surgir.

Hoje o assunto é o freio a disco da moto. Afinal, os freios são itens primordiais para manter a sua segurança e também a segurança dos outros motoristas que compartilham a mesma via que você durante o trampo.

Por isso, se liga nas dicas de como preservar os freios da moto e entenda quais os sinais que indicam o momento de fazer a manutenção. Bora lá!

Freio a tambor e freio a disco da moto: entenda as diferenças

Apesar de existirem 3 sistemas de freios nas motos – tambor, disco e ABS –, vamos falar só dos mais populares, aqueles encontrados na grande maioria das motos do país, que são os freios a disco e a tambor.

Freio a tambor

O primeiro, conhecido como freio a tambor, é um sistema que funciona por atrito e de modo mais progressivo. Nele, depois que o piloto pressiona o pedal para frear a moto, a pressão do fluido de freio aciona pistões, que empurram sapatas para que estas forcem os tambores contra as rodas da moto.

Esse atrito, entre tambor e a roda, é o que faz o veículo parar.

Freio a disco

Os freios a disco compartilham, basicamente, do mesmo princípio de acionamento dos freios a tambor. Mas a grande diferença está na pressão exercida sobre as rodas, que graças ao sistema de pinças dos freios a disco dá mais estabilidade ao piloto durante uma frenagem. E, de quebra, tem um efeito de parada melhor.

A escolha do melhor tipo de freio vai depender da potência da moto e das necessidades que ela tem em relação à frenagem.

Motos de menor potência funcionam super bem com freios a tambor, enquanto as de potência média precisam do freio a disco.

Sinais de que algo está errado no freio a disco

Os freios a disco da moto dão sinais claros quando algo não está indo bem. Portanto, se você presenciar qualquer um dos sintomas abaixo, é bom parar e fazer uma visitinha rápida no mecânico, beleza?

Freio “borrachudo”

O termo até é meio estranho, mas a sensação de freio borrachudo é bem fácil de detectar. Nele, o manete do freio fica com certa folga, como se estivesse mais macio. Nesses casos, o problema pode ser um pouco de ar no cabo de óleo e uma simples sangria vai resolver a questão.

Importante: essa sensação de maciez pode acontecer com pastilhas novas, que acabaram de ser colocadas no sistema de freio a disco da moto. Isso vai acontecer pelo material abrasivo que ainda está se moldando no disco e precisa de alguma rodagem para ficar normal.

Moto trepidando na frenagem

Outro sinal de que o freio está nas últimas é sentir a moto trepidar durante uma frenagem. Apesar do susto, é importante verificar e garantir que está tudo certo com o disco do freio, que – possivelmente – está empenado.

E disco empenado é bem comum de acontecer, viu? A qualidade do material, problemas na hora da instalação ou alguma pequena queda podem comprometer o material, que acaba entortando e, desse modo, comprometendo o sistema de freio da moto.

Se isso acontecer, não perca tempo pra arrumar!

Barulho durante a frenagem

Este é o sintoma mais fácil de identificar e resolver. O barulho de metal raspando, durante a frenagem, indica que as pastilhas já estão gastas e precisam de troca urgente.

O que acontece nessa hora é que os pistões continuam empurrando as pinças, mas a falta das pastilhas acabam realizando o atrito entre metais, ocasionando um barulho bem chato e que dá pra perceber rapidinho.

A frenagem está “atrasada”

O último e importante sintoma, possivelmente o mais urgente de todos, mostra que o disco já está bastante comprometido e precisa de urgência quanto a manutenção.

Nesse caso, podemos observar que a frenagem demora pra acontecer e compromete a capacidade de parada da moto.

Quem já é experiente no assunto sabe que o sistema de freio a disco da moto é bem eficiente. Se tudo estiver funcionando bem, uma leve pressionada no manete de freio é suficiente para frear com segurança, então, se isso deixou de acontecer há tempos, é bom correr na oficina, hein?

Como resolver e quanto custa a manutenção

Bom, o primeiro passo é não esperar para resolver problemas nos freios, já que eles são cruciais pra sua segurança. Com isso bem entendido, a próxima etapa é não mexer por conta própria, assim você evita piorar a situação.

Desse modo, é importante encontrar um mecânico de confiança e deixar que um especialista identifique e conserte o problema da sua moto.

E é possível que você esteja se perguntando quanto isso vai custar, certo?

Bom, os preços podem variar bastante, mas no geral, um sistema de freio a disco para motos de 150 cilindradas varia de R$ 200 até R$ 350. Se incluirmos a mão de obra, possivelmente vamos chegar em R$ 400 até R$ 500 para a troca do sistema de freios.

Para motos de cilindrada média, de 250cc até 330cc, os preços são mais salgados e o sistema de freio a disco pode variar de R$ 400 até R$ 600, com o valor total do reparo chegando até os R$ 900. Mas tudo depende também do local da manutenção e da qualidade das peças da moto, claro.

Atenção para problemas no freio da moto

Mesmo que os valores sejam altos para você, tenha sempre em mente que não se deve brincar com o sistema de freio de uma moto. Com tantas entregas pra fazer, é importante estar com a manutenção da moto, sua principal ferramenta de trabalho, em dia.

Portanto, nada de deixar pra depois quando o assunto é o freio da moto. Fique atento aos sinais e, em caso de dúvidas, procure seu mecânico de confiança.

É nóis!