Seguindo algumas dicas simples é possível retomar o controle das finanças.

Olá, tudo bem?

Seguindo a série de conteúdos sobre Educação Financeira aqui do Portal, o papo de hoje é sobre como fazer a grana render no final do mês.

Então, se você anda com a sensação de que a vida é só trabalhar e pagar boletos, saiba que isso pode ser um sinal de falta de controle de finanças – e um planejamento financeiro pode resolver isso.

A seguir vou mostrar pra você que algumas atitudes simples, como andar sempre com um petisco pra beliscar na hora da fome, podem ajudar não só a diminuir as contas, como fazer sobrar dinheiro na carteira. Bora lá!

Centralize os seus gastos em uma planilha

Aqui eu usei a palavra planilha, mas não precisa ser necessariamente uma. O lance é que ter todos os gastos anotados, seja em um caderninho, Excel ou documento de texto no celular, para que eles sejam acessados facilmente, é uma parte importante do planejamento financeiro.

Quando é possível enxergar todas as despesas listadas, fica mais fácil identificar aquelas que são desnecessárias ou as que estão altas demais e precisam ser revistas.

Evite usar o cartão de crédito

É ótimo poder contar com um cartão de crédito na hora do aperto para resolver uma emergência. O problema é que o risco de se endividar usando essa forma de pagamento como se fosse uma extensão do saldo da conta também é alto.

Por isso, a não ser para aquelas compras planejadas com antecedência, tente evitar usar e tenha um maior controle do cartão de crédito no dia a dia. Ande com um trocado na carteira para aqueles gastos menores que você precisa mesmo fazer, como abastecer a moto ou passar no supermercado.

Vá ao supermercado depois de comer

Falando em supermercado, essa dica pode parecer batida – provavelmente você já ouviu alguém dizer isso –, mas ir ao supermercado com fome é cilada. As chances de comprar mais do que o planejado são grandes.

Ande sempre com um lanche na mochila

Comer antes de ir ao supermercado ajuda a economizar, mas ter sempre um lanchinho para enganar a fome durante o dia também é top.

Isso evita aquelas paradas entre uma entrega e outra, feitas pra comprar uma coxinha e tomar um cafézinho no meio da tarde, e que no final do mês representam uma despesa considerável no orçamento.

Guarde um dinheiro todo mês para emergências

Sabe quando todas as finanças estão sob controle e, de repente, a moto precisa de manutenção, o celular para de funcionar e o gás acaba? Para que essas pequenas emergências não causem um grande desfalque no orçamento, é preciso guardar um dinheirinho todo mês já pensando nelas.

Pode ser R$25, R$50, R$100 por mês, não importa, mas é fundamental manter esse compromisso com você e com as suas finanças. Se você começar hoje, por exemplo, daqui a um ano, quando olhar o saldo da conta, vai sentir orgulho – e um alívio enorme no peito em guardar dinheiro!

Pense duas ou três vezes antes de fazer uma compra

Você sabia que 60% das pessoas fazem compras por impulso? E de pouquinho em pouquinho, esses gastos podem ser responsáveis por grandes dores de cabeça no final do mês.

Por isso, a dica é pensar muito antes de decidir fazer uma compra. Uma, duas, até três vezes. Indo um pouco além, responda mentalmente algumas perguntas antes de tirar o dinheiro do bolso:

  • “Eu preciso fazer ou ter isso?” aqui, se a resposta for um NÃO categórico, pegue sua carteira e vá para longe. Mas se for um SIM, passe para a próxima pergunta;
  • “Eu tenho dinheiro para bancar esse gasto?” beleza, você precisa comprar, só que se não tiver dinheiro, não existe mágica. Por outro lado, se aqui a resposta for outro SIM, passe para a última pergunta;
  • “Isso precisa ser feito ou comprado agora?” às vezes o gasto pode ser adiado para uma ocasião mais tranquila e pode até esperar uma promoção, tipo Black Friday. Então se a resposta for NÃO, espere. Se a resposta for SIM, compre.

Como deu pra perceber, ter um bom planejamento financeiro pode até não ser fácil, mas é possível e também acessível. E não precisa começar a seguir todas as dicas de uma vez, não. Dá para começar aos poucos, de passinho em passinho, e adaptar cada uma delas de acordo com o que funciona com a sua realidade.

Assim, além de ter mais tranquilidade para fazer o trampo com as suas entregas, sem aquele medo de ficar no vermelho a qualquer momento, você tem mais condições de realizar os seus sonhos – começar a investir, viajar, sair do aluguel, reformar o apê e por aí vai. TMJ!