Só quem tá na rua todo dia, fazendo seu trampo pra cima e pra baixo, sabe o quanto é importante manter atenção máxima quando o assunto é segurança.

Quando o assunto é segurança, não dá pra marcar bobeira. E em cima da moto, o cuidado começa pelo capacete.

Por isso, eu vou te explicar com umas dicas bem fáceis como você faz pra escolher um capacete top e o mais protegido possível. Borá lá!

Descubra o tamanho que o capacete deve ter

Aqui não tem muito segredo, ele não pode nem apertar a sua cabeça demais e nem ficar muito frouxo. Ou seja, o capacete tem que ficar confortável o suficiente para que você passe o dia todo na moto sem ficar com dores ou marcas de aperto na cabeça.

Sabendo disso, é hora de explicar um pouco sobre os tamanhos disponíveis. São eles:

Circunferência (cm) Tamanho
56 S
58 M
60 L
62 XL
64 XXL

 

Antes de comprar, você pode medir sua cabeça com uma fita métrica. Assim você pode ter certeza qual dos tamanhos de capacete corresponde melhor com o tamanho da sua cabeça.

Ah, outra coisa: se a medida ficar entre dois tamanhos, como o L e o XL ou o S e o M, o ideal é pegar o menor para evitar que o capacete fique muito solto.

Veja se o modelo atende às suas necessidades

Existem vários modelos diferentes, cada um indicado para um tipo de situação, como o capacete aberto, capacete off road, capacete articulado e o capacete fechado.

Os capacetes fechados, como o próprio nome já diz, cobrem toda a cabeça e ficam bem presos por meio de fivelas ou qualquer outro sistemas de encaixe. Esse é o tipo que mais vemos nas ruas, justamente porque são os modelos indicados para usar na estrada.

Uma vantagem deste capacete é o sistema de ventilação interna, pra cabeça não fritar nos dias em que o sol tá fervendo. Como ele é totalmente fechado, esse mecanismo dá uma boa aliviada.

Confira se o capacete está dentro das normas do Contran

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) é um dos órgãos responsáveis por ditar as regras de organização e segurança no trânsito. Basicamente, eles é que definem o que pode e o que não pode, e existem regras específicas só sobre capacete. Vou falar das três principais, as que interessam pra você. Veja:

Viseira

As regras quanto ao uso da viseira são bem rígidas, até porque elas servem, basicamente, para garantir que o piloto não vai ter problemas para enxergar durante seus trajetos.

É por isso que a primeira regra do Contran é que todo capacete precisa ter viseira, que pode ser cristal (transparente), fumê ou metalizada. Só que não é só ter viseira, ela precisa estar abaixada enquanto você tá circulando de moto também.

Adesivos refletivos

A segunda regra é sobre os adesivos refletivos, obrigatórios na parte frontal, lateral e traseira do teu capacete.

Esses adesivos servem para ajudar os motoristas a enxergarem melhor a sua moto, principalmente à noite e em dias de chuva ou neblina. Eles são feitos de um material com alto poder de refletir a luz dos carros e por isso produzem um efeito brilhante sempre que o farol mira na tua direção.

Selo do Inmetro

Não caia na furada de comprar um capacete para moto sem o selo do Inmetro, por mais estiloso que ele seja. E se você não sabe por que precisa de um capacete com o selo do Inmetro, vou te explicar!

O Inmetro é o órgão responsável por testar a qualidade de produtos vendidos dentro do país. Então, se um capacete não tem esse selo, não tem como saber se ele protege de verdade no caso de um acidente, o que aumenta muito o risco de mortes no trânsito.

Não compre capacete usado

Por último, mas não menos importante: nunca compre um capacete usado. O lance é que se um capacete sofre uma pancada, por mais novo que ele pareça estar, sua capacidade de absorver choques acaba comprometida.

Aí a gente volta na questão inicial, que é segurança. Se o capacete é um item de segurança e você compra um que pode ter perdido essa função, vamos combinar que é só dinheiro jogado fora, né?!

Para finalizar, quando o assunto é capacete para moto, tenha em mente que esse item pode salvar sua vida, portanto, invista em algo com qualidade!